terça-feira, 10 de maio de 2016

SAPATOS E MULHERES: UMA RELAÇÃO DE AMOR

Será que conseguimos entender essa nossa louca atração por eles?

Sapatos, sapatos, sapatos!
Temos que concordar que somos malucas por um par de sapatos novos. A cada troca de coleção, nossos olhos brilham diante das vitrines, em busca do par perfeito para aquela estação.
Até aí está tudo normal. Mas e o que falar daquelas que alegam precisar de muitos pares, a cada nova coleção de sua marca favorita? Vou ser sincera que eu sou uma dessas, uma pena não ter um salário estratosférico para satisfazer esse desejo.
E grande parte da culpa desse nosso desejo, recai sobre os designers, com suas mentes ultra, super, mega, blaster criativas, e a cada estação nos enlouquecem com formas, cores e detalhes que nunca nem imaginamos, mas que passamos a desejar no mesmo instante em que vemos.
A verdade é que essa nossa relação com os sapatos não é de hoje que existe. Já mostrava Cinderela lá atrás. Aliás, os filmes, desenhos e séries costumam apontar para isso. Teve uma personagem que só reafirmou isso nas fashionistas de plantão, ou fez despertar esse desejo naquelas que pensavam não amar tanto assim, a nossa queridinha Carrie Bradshaw! Como falar de sapatos, e não nos lembrarmos dela, não é verdade? O que são aqueles pares de sapatos maravilhosos que ela fazia questão de desfilar a cada episódio de Sex and the City? Vamos combinar que a inveja batia, e a vontade de estar na pele dela era quase que incontrolável.
Como dizem minhas amigas, um sapato novo traz o mesmo sentimento de quando saímos de um salão de beleza: Vem mundão, que estou pronta para guerra! Esse acessório nos enche de poder! E não é para menos, ele pode levantar ou detonar com a sua produção. Por exemplo, o seu vestido de festa pode ser maravilhoso, mas se o sapato não tiver aquele design, o vestido perde todo o glamour. Ele é a continuação do look. Fora que a postura muda totalmente com o salto que está sendo usado. Talvez seja isso que cause tanto fascínio, pois não é preciso uma lipo, basta um bom salto para apresentar uma silhueta mais bela.
Quando saímos em busca deles, não é apenas o prazer de entrar na loja e comprar o tal sapato, mas a nossa autoestima que fica lá em cima quando colocamos aquele salto maravilhoso. Vai falar que nunca saiu de casa, com a desculpinha esfarrapada de que isso iria te fazer se sentir melhor, e ser a solução para os seus problemas, mesmo que momentaneamente? O pior é que isso acontece mesmo! E não adianta, uma peça de roupa não traz essa sensação, só o sapato tem esse poder!
Mas nem só de saltos nós, malucas por sapatos, vivemos. Não podemos nos esquecer das sapatilhas, que além de confortáveis, trazem todo um charme para o visual. Que o diga, Audrey Hepburn, que preferia uma produção mais clássica e nunca abandonava suas belas sapatilhas. Afinal, cada modelo tem o seu charme. E vamos combinar que não são todos os dias que estamos no pique de suportar aquele salto 12 cm, né? Ou seja, não importa se saltos altos ou baixos, o importante é ter muitos deles.
Essa nossa atração chega a se tornar uma relação de afeto. Há mulheres que conversam com os seus sapatos! Eu ainda não fiz isso, mas assumo que todo final de semana, religiosamente, eu dou uma organizada neles, mesmo quando não é preciso. Mas sinto prazer em arrumar, limpar e pensar: são todos meus (apesar da coleção ser pequena).
De fato é uma obsessão. Um outro ponto é que esse objeto não serve apenas para atender a nossa necessidade de estarmos calçadas, na verdade é muito mais que isso, é o desejo de ficar mais atraente e talvez até reverenciada, eu diria.
Como puderam perceber, essa relação é muito mais insana do que nosso entendimento possa alcançar. Então, vamos deixar o racional pra lá, e apenas aceitar nossa loucura por eles. Viva os sapatos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário